Como funciona a Fertilização in vitro

Artigos sobre Infertilidade e Reprodução Humana

Você tem dúvidas sobre como funciona a Fertilização in vitro (FIV) ou bebê de proveta?

A Fertilização in vitro é uma técnica da reprodução humana assistida indicada para casais com fatores graves de infertilidade.

Só para você ter uma ideia, a FIV pode ajudar a ter filhos, mulheres com idade avançada, baixa reserva ovariana, trompas obstruídas, endometriose profunda e outros fatores.

Como funciona a Fertilização in vitroDo mesmo modo, a técnica pode ajudar nos casos de fatores de infertilidade masculina. Como, por exemplo, homens com alterações graves no espermograma.

Além disso, a Fertilização in vitro também é indicada para casais homoafetivos femininos e masculinos. E para pessoas que desejam ter filhos por produção independente.

A denominação “in vitro” deve-se ao fato do processo de fecundação, ou seja, o encontro do óvulo com o espermatozoide para formar um embrião, ser realizado em laboratório.

Para que isso seja possível, após a investigação da infertilidade e indicação para a FIV, é preciso seguir algumas etapas. Sempre sob a orientação de um especialista em infertilidade.

Conheça as 7 etapas e descubra como funciona a Fertilização in vitro (FIV) na prática:

  1. Estimulação ovariana: após o início da menstruação, a paciente inicia a aplicação de injeções de hormônios subcutâneas diárias. Para estimular o desenvolvimento dos folículos (onde estão os óvulos) nos ovários, por cerca de 10 dias, simulando o período fértil.
  2. Ultrassom transvaginal (USG TV): cerca de 2 a 3 USG realizados durante a etapa 1 no consultório. Para acompanhar o efeito das injeções, a resposta dos ovários e o desenvolvimento e crescimento dos folículos.
  3. Indução da ovulação: a paciente então faz o uso de uma medicação injetável para induzir a ovulação em 36 horas. Quando os folículos atingem cerca de 18mm e os óvulos estão prontos para serem coletados.
  4. Coleta dos óvulos: com a paciente em jejum e sob leve sedação, o especialista aspira o líquido dos folículos com os óvulos no laboratório. Depois, entrega para a embriologista avaliar e selecionar os óvulos maduros. A partir deste dia, a paciente inicia o uso de medicações à base de estrogênio e progesterona para preparar o endométrio para transferência.
  5. Coleta do sêmen: dependendo da existência ou não de fator de infertilidade masculina, pode ser realizada com antecedência ou no dia da coleta dos óvulos. A amostra é entregue para a embriologista realizar o processamento seminal, selecionar os melhores espermatozoides e definir qual tipo de fertilização será realizada.
  6. Fertilização in vitro (FIV): a embriologista coloca os espermatozoides em uma placa de Petri com os óvulos para serem fecundados. Ou, nos casos em que há baixa contagem de espermatozoide, ele é inserido dentro do óvulo com o uso de um micro manipulador e uma agulha (FIV com ICSI) para formar o embrião.
  7. Transferência de embrião: no laboratório de embriologia, cerca de 3 a 5 dias após a FIV. É feita a transferência do embrião gerado com o uso de um cateter para o endométrio (camada interna do útero). Os embriões excedentes são congelados para uso futuro.

Confira esse artigo para mais detalhes sobre como preparar sua agenda para a Fertilização in vitro (FIV).

Entre as etapas 1 e 7 levam-se aproximadamente 17 dias. Após a transferência do embrião, é o momento de maior ansiedade, pois é preciso aguardar 14 dias para realizar o teste de gravidez.

Dúvidas? Envie um WhatsApp 11 96330-0460.

Prof. Dr. Thomas Miklos
CRM 86811
Reprodução Humana Assistida

#fertilizaçãoinvitro #bebedeproveta #tentante #infertilidade #familiahomoafetiva #producaoindependente #reproduçãohumana #ginecologistasp #drthomasmiklos #rrtclinicadamulher